Residência André Allix – Parte I

frente-residencia
Bonjour, meu povo!

Peço desculpas pelo sumiço. Problemas básicos com a administração francesa e acabo de passar por uma semana intensa de aula todos os dias o dia inteiro.

O post de hoje é para falar sobre a minha residência André Allix.

HISTÓRIA

Como eu já havia mencionado, eu moro dentro de um forte que foi construído entre 1832-1842.

Tinha um formato pentagonal e abrigava cerca de 800 homens. Um tempo depois ele foi abandonado (por motivos que confesso não encontrei na internet ou em qualquer lugar para compartilhar) e começou a ser usado para outros fins, sendo preservada a caracterísctica e muralhas.

O instituto franco-chinês ficou instalado dentro do forte por 26 anos (de 1920 a 1946). No fim da Segunda Guerra mundial, se tornou uma residência estudantil (e tenho certeza de que muitos blocos permanecem intactos desde então rs)

MINHA EXPERIÊNCIA

Na residência tem vários blocos. Aqui embaixo tem um mapa:

allix6

Eu moro no Arches D’Agrippa. Para conseguir esta vaga, já mencionei nesta post aqui, a fauldade me ajudou porque é bastante concorrido e com muita sorte consegui um estúdio aqui. É bom. Você não encontra com tanta gente com tanta frequência, mas já bateram na minha porta pra pedir pra tocar dinheiro e abridor de vinho, já trombei com um brasileiro e com um moço aparentemente francês que é tããããão educado… Sorridente, solicito… _ Por mais homens assim no mundo! hahahaahahah

No meu bloco, cada ala tem uma cor. Eu moro na ala 2 (eu acho) então nossas portas são amarelas. Quem mora na ala 1 tem as portas azuis. Eu disse que eu acho que moro na ala 2 porque eu fico bem em frente do elevador e no meio do prédio. rs

Algumas fotos que eu tirei andando pela residência:


Essa última foto é do bloco onde eu moro. X)

Meu corredor: dizem por aí que só o nosso bloco tem elevador. 


Fui no bloco H na sala de informática e confesso que fiquei chocada com a aparência do prédio e das coisas =X

Mas eu sou meio fresca, lembram? Então não considerem muito o meu choque Hahahahahahah  

Aqui na residência tem o seguinte:
Sala de informática: ela nunca fica aberta. Existe um grupo fechado no facebook da residência e você só pode entrar nesse grupo se for morador. Lá eles lançam um post informando que dias e horários a sala estará aberta. Sim, é um SACO. Tem que ficar de olho a cada postagem. A impressão é grátis, mas você precisa levar a sua própria folha sulfite e a impressão é limitada a 50 folhas por mês.
Sala de estudos;
Sala de jogos (ping pong, pimbolim..): ainda não fui.
Sala de TV;
– Sala de Dança;
Academia: fica aqui embaixo do meu prédio. Academia acho que é um pouco forçado dizer. É mais uma sala de aeróbico. Não tem pesos ou aparelhos com esse fim, tem só esteiras, ergométrica etc. Custa 70 euros por  ano ou 10 euros por mês;
Quadra de basquete: Minha janela da de frente para a quadra. Tem uma ponte que sai do meu prédio (do 3o andar) e vai direto para lá.
Lavanderia: No meu prédio tem 2 máquinas de lavar e 1 de secar. Para lavar custa 3,20 euros e para secar 1,20. OUVI DIZER que no bloco G tem secadora de graça, mas não seca muito bem a roupa, fica bem úmida e precisa pendurar.
Essa semana usei a nossa e tirei as roupas da secadora direto para o guarda-roupa. Pelo trabalho de ter que levar minhas roupas molhadas até o outro bloco, pra secar e não secar direito, acho mais fácil pagar 1,20 euros hahahahaha
Restaurante: Ninca vi, nem comi, eu só ouço falar. Era pra ter começado a funcionar no dia 12. Eu não faço muito o trajeto que passa em frente do restaurante por preguiça, tem que andar muito para chegar em casa e é morro… Mas passei por lá na semana passada e ainda não estava funcionando.

Logo na entrada, assim que vc chega na entrada oficial da residência – accueil – que é a “portaria” do André Allix. A maioria das moças que trabalham lá são bem humoradas e esforçadas. Tem uma só que fala inglês, a Najet. De resto, todas tem que se esforçar para entender a mímica ou o inglês de boa parte dos moradores aqui. E ah… tem uma secretária que meu Deus. Ela deve dormir de calça jeans todos os dias, só isso para explicar tamanho mau humor! Sempre de cara amarrada, cuspindo as informações em um francês incompreensível e rosnando. Eu até evito de ir no horário que ela está lá que é no fim da tarde.

Bom, já citei alguns dos problemas ali em cima. Tem um que já cansei de reclamar que é a internet. Até que me irritei com essa instabilidade e agora uso a internet do meu celular no computador. Peguei um plano com 50g de internet por 20 euros (farei ainda um post sobre linhas telefônicas) e resolvi meu problema.

Outro problema é a calefação. O meu aquecedor fica na porta de entrada. Tento entender até agora por que a porta precisaria de um aquecedor… Minha cama precisa! ele aquece, mas não tanto quanto a minha pele caliente e tropicana precisa. Então estou pensando seriamente em providenciar um extra. Estamos no outono e já usei ele para dormir algumas noites.

A residência fica a 10 minutos da estação Perrache de ônibus e entre 10-15 min de bike. Nesta estação sai alguns trens TGV, tem o metrô, tramway, ônibus e trem. Aqui passam 3 ônibus, 2 que vão para Perrache e 1 que vai para a Place Bellecour… E ainda tem o funicular perto da Basílica de Notre Dame que é pertíssimo daqui. Não tem muitas opções de ônibus. O problema é à noite que se torna ainda mais restrito, mas esse final de semana eu descobri que tem pouco, mas tem! Hahahaah dá para vir tranquilo de madrugada.

O próximo post será sobre chez moi (ainda inacabada) rs.

Bisous à tous!


Um comentário sobre “Residência André Allix – Parte I

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s